Um veterano da Expointer Imprimir
Escrito por Renata de Medeiros (2º semestre)   
Qui, 08 de Setembro de 2011 18:42

João Izabelino Veiga, mais conhecido como Pai João, participou da Expointer antes mesmo do evento ter esse nome. Desde 1942, está presente na exposição. Ao longo destes 69 anos, o trabalhador, que já cuidou de bovinos, cavalos e ovelhas, acompanhou as várias mudanças que a feira sofreu.


A vida campeira de Pai João começou quando tinha 8 anos. Criado numa família pobre e com 11 irmãos, trabalhou desde cedo para aprender as coisas do campo. "Eu trabalhava sem visar o lucro. Era para aprender mesmo. Naquela época a gente não tinha a opção de estudar. Se era pobre, tinha que trabalhar. Foi assim que eu comecei", contou, com os olhos cansados de quem já está na lida há anos. 

Em 1942, Pai João teve que sair de Alegrete para trabalhar numa exposição que seria realizada em Porto Alegre. Naquela época, nem o nome e nem o lugar da Expointer eram os que conhecemos hoje. O parque de exposições era na capital, no bairro Menino Deus, onde atualmente é a sede da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Como o evento ainda não contava com produtores de fora do Rio Grande do Sul, seu nome era Exposição Estadual de Animais . "A gente viajava de trem durante uma semana para ir para Porto Alegre. Daí quando chegávamos no Laçador, vinha um caminhão para carregar o gado e as nossas mochilas até a Expointer", comentou.

No final da década de 60, produtores argentinos e uruguaios começaram a se interessar em participar da exposição. Assim, o evento precisava de uma nova sede, pois o Parque do Menino Deus já estava ficando pequeno para receber a demanda de animais que havia na época. O novo lugar escolhido foi o atual Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, na cidade de Esteio. E, como fazendeiros de outros países continuavam interessados em participar da exposição, em 1972 surge a Expointer. 

Pai João com uma das ovelhas que criou na Cabanha Bela Vista. Foto: Renata de Medeiros.

Pai João participou de todas essas mudanças. Mas não foi só de nome e lugar que a Expointer mudou. Atualmente, há um alojamento para os trabalhadores, coisa que antes não existia. "A gente tinha que dormir no mesmo pavilhão que os animais. Não era muito agradável por causa do cheiro e do barulho. Agora tá mais organizado. Sem falar que antes o pessoal mais novo fazia festa de noite. Traziam gaita e era uma gritaria, uma falta de respeito. Não dava nem pra dormir", recordou.

Com 69 anos de trabalho na área rural, já passou por Alegrete, Caçapava do Sul, Vacarias e São Franciso de Paula aqui no Rio Grande do Sul. Além de conhecer também outros Estados, como São Paulo, Mato Grosso e Santa Catarina. E, apesar da idade, não planeja parar suas atividades. "Quem faz a velhice é a própria cabeça da pessoa. Não pode se entregar, tem que ser forte e vencer na vida", disse com um otimismo visível em seu olhar.

Numa de suas viagens a São Paulo, Pai João teve uma séria lesão muscular no braço devido à sobrecarga de trabalho. "Quando eu fui pra São Paulo, arrumava umas dez ovelhas por dia. Tinha muito trabalho e, se eu fose novo, não pensava duas vezes em ficar lá. É o lugar onde o pobre ganha dinheiro. Chegava a fazer 1.000 reais numa noite. Mas fez mal pra mim, eu arrebentei o tendão do braço e fiquei dois anos sem poder fazer força", falou mostrando o braço direito que hoje está em perfeitas condições de trabalho.

Há 17 anos trabalha na Cabanha Bela Vista, mas ainda faz serviços em outros lugares. "Sou chefe de mim mesmo, todo o material que eu trabalho é meu. Não pego uma tesoura emprestada", falou orgulhoso. Este ano, Pai João participou de mais uma Expointer e afirma que, enquanto puder, vai continuar participando do evento."Eu gosto de estar aqui porque me criei aqui dentro. Tenho uma família. Deus vai levando uns, mas vêm outros e a gente forma aquele grupo de amizade. E eu adoro trabalhar com ovelha, é a minha sobrevivência", contou enquanto se despedia e retornava ao trabalho. Era o último dia do evento e Pai João voltava pra casa com mais uma Expointer na bagagem.


Última atualização em Seg, 27 de Fevereiro de 2012 11:25