Inicial Feira do Livro Rivalidade Gre-Nal até na Feira do Livro

22 -September -2018 - 11:46
Rivalidade Gre-Nal até na Feira do Livro PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcelo Farina (2º semestre)   
Qua, 09 de Novembro de 2011 17:05

A rivalidade Gre-Nal também está presente na 57ª Feira do Livro de Porto Alegre. Na Praça da Alfândega, são comercializadas obras que retratam a história dos dois grandes clubes da capital. Para os leitores que gostam de esporte ainda existem biografias e crônicas futebolísticas em geral.




Alcir Nicolau Pereira é autor de três livros sobre a Dupla Gre-Nal e conta como entrou no clima da rivalidade. “Um dos livros chama-se Grenal Guascas, que são histórias de futebol em que cada capítulo é um jogo de futebol onde ocorrem as coisas mais gozadas e brincadeiras do interior do estado. É um capitão e um coronel que fundam um vilarejo e fundam dois times e fazem um campeonato e cada jogo eles dão um jeito de fazer o time deles ganhar. Fazem coisas interessantíssimas do arco da velha”, contou. Alcir também já produziu obras que ajudam a incrementar a já tradicional flauta existente entre as duas torcidas com os títulos: “Gremistas gozam colorados” e “Colorados gozam gremistas”.  “Esses livros ficaram entre os quatro mais vendidos da feira quando eu lancei-os em 2008. Nessa edição só, já assinei 25 autógrafos”, explica.
A história rivalidade também está presente nos livros
Alcir revelou qual é seu time fazendo uma breve ironia. “Eu estou com a camisa de cada um dos clubes nas duas edições. Eu vesti a camiseta do Grêmio porque me deram uma paulada na cabeça, daí eu desmaiei e lá na editora me botaram a camiseta do Grêmio e tiraram a foto, mas eu sou colorado”, brincou. O autor declarou que essas publicações são resultados de sua paixão por futebol. “Sou torcedor de ir ao campo. Agora não vou mais por que o futebol está muito agressivo”, afirmou.

O livreiro Tales Dias da banca Inovação Cultural informou que um dos livros mais vendidos de sua banca é Histórias do Grenal de David Coimbra e quando perguntado sobre qual torcida consome mais, ele não hesitou. “A do Grêmio, claro. Até tem um apartheid aqui. Pra colorado não pode vender. O pessoal do colorado não tem dinheiro”, descontraiu.

Mas não eram só torcedores os interessados em esportes na feira.  O jornalista esportivo Marco Maciel estava em busca de outras opções.  “Já comprei vários, mas de esporte ainda não. Mas estou sempre à procura. Gosto muito de histórias do futebol, biografias. Um livro que estou interessado é o Gigante do Futebol Brasileiro do Juca de Castro”, salientou.


Última atualização em Seg, 22 de Setembro de 2014 19:02