Inicial Feira do Livro Rodrigo Lopes autografa na Feira do Livro

19 -July -2018 - 22:08
Rodrigo Lopes autografa na Feira do Livro PDF Imprimir E-mail
Escrito por Camile Fornasier (1º semestre)   
Seg, 07 de Novembro de 2011 00:00

O jornalista e repórter multimídia da RBS TV, Rodrigo Lopes, fez uma palestra na 57˚ Feira do Livro de Porto Alegre. Lopes aproveitou a oportunidade para falar um pouco sobre as coberturas que fez para o jornal Zero Hora. Lopes se mostrou orgulhoso pelo fato de vir pela primeira vez à Feira como escritor. “Para mim é como atravessar um espelho que talvez não tenha volta”, comentou


O jornalista estava contente com o resultado obtido na experiência de escrever um livro.  “É quase como uma cachaça, a gente começa a escrever e quer escrever mais”, alertou. Lopes ressaltou que estava muito feliz por ter escrito seu livro Guerras e Tormentas.

Lopes salientou que gosta muito de cobrir guerras. Ao longo dos anos foi adquirindo experiência em entrar em zonas conflagradas e de catástrofes naturais. “Eu normalmente topo antes mesmo de saber a bronca em que me meti”, brincou o repórter.

Rodrigo Lopes acredita em um jornalismo em que o repórter vai até o local, fala com as pessoas e ouve suas histórias. Para ele, não há mais sentido em cobrir do hotel, somente acompanhando pela televisão. “Para mim jornalismo é história, e os seres humanos envolvidos nela, é feito de gente”, opinou. Para ele nada é mais interessante do que estar no centro do acontecimentos.

Jornalista Rodrigo Lopes na 57ª Feira do Livro


Em relação as coberturas, o jornalista disse que é importante viajar com alguém junto, por causa da questão psicológica. Segundo ele, essa pessoa vai estar ao seu lado para enfrentar o acontecimento. “O cara no mínimo vai te ajudar, chorar junto, te abraçar. No máximo vai dirigir e partilhar cobertura”, disse Lopes. O repórter contou ainda que enfrentou várias dificuldades para realizar o seu trabalho. Já teve de dormir no carro, em barracas. Enfrentou dificuldades como a falta de combustível.

Lopes contou histórias de pessoas que encontrou durante suas reportagens e disse que é difícil fazer a separação entre o Rodrigo Lopes jornalista e o humano. Na cobertura da devastação causada pelo furacão Katrina, Lopes encontrou em New Orleans um senhora em uma cadeira de balanço. Ela estava sozinha esperando os filhos. Eles tinham prometido buscá-la após o furacão, mas não apareceram. “É muito difícil entrevistar a pessoa, sair e deixar ela lá”, comentou.

Algumas das coberturas mais importantes realizadas pelo palestrante foram a crise na Argentina, a morte do Papa João Paulo II, o furacão Katrina em New Orleans, a Guerra do Líbano, a posse do presidente Barack Obama, o terremoto no Haiti e o resgate dos mineiros do Chile.


Última atualização em Seg, 22 de Setembro de 2014 18:51