Inicial Feira do Livro Feira do Livro prova que tamanho não é documento

22 -April -2018 - 09:12
Feira do Livro prova que tamanho não é documento PDF Imprimir E-mail
Escrito por Camile Fornasier (1º semestre)   
Qui, 03 de Novembro de 2011 16:07

A 57ª Feira do Livro tem uma “pequena” grande atração para os leitores. Os menores livros do mundo é o nome de uma editora peruana que participa da Feira desde o ano de 2005. A editora produz minilivros com o conteúdo das obras originais na íntegra. A marca é especializada em livros em miniatura, e foi criada na década de setenta pelo  peruano Alberto Briceño. Para ele, o livro era algo importante, independente do tamanho.


Briceño acredita que podem ser vendidas miniestantes também, para quem gosta de fazer coleções para guardar os livros. Elas são feitas à mão, de madeira maciça, e com puxadores de bronze.

A livreira Elena Cunyarache ressaltou que o minilivro mais procurado é O pequeno príncipe - em todos os idiomas -, e no Brasil os de literatura brasileira - são 8 títulos nessa categoria. Há livros nas categorias religião, astrologia, turismo, infanto-juvenil, culinária, clássicos de William Shakespeare, entre outros.

“As pessoas ficam muito impressionadas. Elas se identificam bastante com as miniaturas pois nunca viram desse tamanho, sobretudo por serem legíveis e com acabamento de qualidade”, contou Elena Cunyarache.
Os minilivros têm o conteúdo das obras originais na íntegra
A ilustração e a impressão são feitas à máquina, porém o acabamento é à mão. Os minilivros são fabricadas no Peru e exportadas para vários países. Há dois tamanhos diferentes, o maior de 5cm por 6 cm e o menor de 1cm por 2cm. Todas as miniobras  têm capa dura e em alto relevo, e incluem separador de página.

São mais de 300 títulos, mais de 70 estão em português, e os demais estão traduzidos à idiomas como espanhol, inglês, italiano e francês. O preço é de R$22,00 por unidade.


Última atualização em Seg, 22 de Setembro de 2014 18:46