Inicial Notícias Portal de Jornalismo entrevista o ex-técnico da Seleção Brasileira

11 -December -2018 - 21:37
Portal de Jornalismo entrevista o ex-técnico da Seleção Brasileira PDF Imprimir E-mail
Escrito por Renata de Medeiros (2º semestre)   
Ter, 13 de Setembro de 2011 15:37

Dunga participou da palestra sobre os desafios do futebol no curso Kick Off 5 da Perestroika nesta segunda feira,12 de setembro. Após o evento, conversou com o Portal de Jornalismo ESPM-Sul, falando da imprensa esportiva e de seus planos.



Na década de 90, Dunga foi jogador da Seleção Brasileira de Futebol. Conquistou o tetracampeonato nos Estados Unidos. Mas, no ano passado, era o técnico do Brasil na Copa do Mundo. Durante a competição, estabeleceu horários para as entrevistas concedidas pelos jogadores. A decisão do treinador não foi bem recebida pela mídia esportiva.

Sobre essa relação da delegação brasileira com a imprensa, o treinador diz que é importante impôr limites. "O técnico está à frente do time. A mídia tem apenas que reproduzir as informações. Cada um tem o seu lugar. Não dá pra eu parar o treino porque uma emissora está entrando no ar ao vivo e quer entrevista exclusiva", criticou.

O ex-treinador ainda afirmou que a imprensa precisa se qualificar. "A qualificação profissional é fundamental para que o jornalista saiba colocar a notícia de uma forma correta. É muito fácil achar defeitos. Difícil é consertar o que está errado. A imprensa precisa fazer críticas mais técnicas", salientou.

Dunga em palestra na Perestroika. Foto: Renata de Medeiros

Desde que saiu da Seleção, quando foi eliminado da Copa pela Holanda, Dunga não treinou mais nenhum time. Mesmo assim, é comum aparecerem notícias em que ele é cogitado para assumir o lugar de algum técnico que tenha caído. "Não recebi nenhuma proposta oficial nesse tempo todo. Tudo que foi publicado foram especulações feitas por empresários ou pela imprensa", esclareceu.

Para finalizar, o capitão do Tetra brasileiro falou sobre seus planos. Dunga afirma que ainda está cuidando de seus afazeres pessoais e não pretende assumir o comando de nenhum time. "Foram quatro anos vivendo a Seleção. Tudo que eu fazia era relacionado ao meu trabalho. Preciso de um tempo para colocar as coisas em dia", contou.



Última atualização em Seg, 27 de Fevereiro de 2012 11:25