Inicial Legalidade

19 -July -2018 - 06:33
Legalidade - Jango PDF Imprimir E-mail
Escrito por digitalproducao   
Qua, 24 de Agosto de 2011 14:29

João Goulart

João Goulart estava na China quando da renúncia de Jânio. A Constituição era clara: o vice-presidente deveria assumir o governo. No entanto, os ministros militares se opuseram à sua posse, pois viam nele uma ameaça ao país, por seus vínculos com políticos do Partido Comunista Brasileiro e do Partido Socialista Brasileiro.

Liderada por Brizola teve início o que ficou conhecido como campanha da legalidade. Brizola criou uma rede radiofônica no estado em defesa da posse de Jango. Usando uma cadeia de emissoras de rádio, o governador gaúcho conclamava a população para sair às ruas e defender a legalidade. Jango, voltando da China, aguardou em Montevidéu a solução da crise política. Com a instabilidade gerada, o Congresso propôs a adoção do parlamentarismo como medida conciliatória. O presidente tomaria posse, preservando a ordem constitucional, mas parte de seu poder seria deslocada para um primeiro-ministro, que chefiaria o governo.

O sistema parlamentarista foi aprovado pelo Congresso Nacional em 2 de setembro de 1961. No dia 8, Jango, que já havia sido deputado federal, ministro do trabalho e vice-presidente, assumiu a presidência.

Luiz Guilherme Alves

Última atualização em Qua, 24 de Agosto de 2011 18:55