Inicial Open ESPM Workshop aborda o processo criativo no design social

19 -July -2018 - 22:18
Workshop aborda o processo criativo no design social PDF Imprimir E-mail
Escrito por Emily Mallorca (1º semestre)   
Qui, 29 de Maio de 2014 18:34

O workshop “O processo criativo no Design Social – a adaptação ao projeto” fez parte da 3ª edição do Open ESPM e foi ministrado pela fundadora da empresa Tecttum Design e professora de Design da ESPM-Sul, Liliane Basso, que reforçou o que são os Direitos Humanos e apresentou diversos projetos de inclusão social e ainda, incentivou os alunos de Design a criarem projetos para contribuir para a sociedade da melhor forma possível. O evento ocorreu no dia 23 de maio no prédio C da ESPM-Sul.


A professora iniciou o encontro questionando os alunos presentes sobre o que eram os Direitos Humanos: “Nós sabemos que os Direitos Humanos existem, mas afinal, o que são eles?” e logo respondeu com o vídeo “A História dos Direitos Humanos”. A partir disso, Liliane, comentou que nem sempre os Direitos Humanos são respeitados, e foi isso que lhe incentivou para colaborar com projetos sociais a fim de que todas as pessoas sejam beneficiadas.

A fundadora trabalha, principalmente, com o público-alvo portador de necessidades especiais, que são 23% da população. E para que isso ocorra com sucesso, a professora tem o objetivo de utilizar o poder do marketing para atingir as pessoas. Além disso, a professora foca na transformação e inclusão de projetos para pessoas que não são o principal foco do mercado, como idosos e deficientes.

A professora Liliane Basso apresentou diversos projetos de inclusão social. / Foto: Nicolle Manduré

Liliane apresentou produtos que estão sendo adaptados para deficientes como: prato com suporte, cadeira para banho, garfo no formato da mão do usuário, tábua de cortar adaptável, cadeiras para desenhar e penicos. Todos foram trabalhados com material reutilizável, porém, falta reforçar a estética dos produtos para que as pessoas sintam vontade de utilizá-los. Liliane incentivou os alunos de Design a criarem futuros projetos a fim de ajudar as pessoas que realmente precisam. “Problemas são oportunidade para mudar alguma coisa!”, destacou.

Por fim, a fundadora, mostrou projetos de inclusão que foram implantados ao redor do mundo, como o da criação de um livro com fonte especial, que portadores de deficiência visual  e os outros leitores pudessem ler, “Um livro para todos os olhos” entre outros.