Inicial WMA Casal de colombianos compete há 15 anos no WMA

19 -July -2018 - 06:28
Casal de colombianos compete há 15 anos no WMA PDF Imprimir E-mail
Escrito por Ana Lívia Monção (2° semestre)   
Seg, 21 de Outubro de 2013 17:57

A atividade física ajuda na prevenção de disfunções crônicas precoces em idosos, por isso é indicada por grande parte dos médicos a pessoas com problemas de saúde. Esse é o caso da colombiana, Sura Rico, 62 anos, que -  após ser diagnosticada com uma doença cardíaca - decidiu melhorar a qualidade de vida por meio do atletismo. “Eu pratico há 15 anos, comecei porque tenho problema de coração e o médico disse que eu tinha que tomar remédio, mas eu não gosto de drogas, não tomo nem uma aspirina, então comecei a correr”, relatou.


Juntamente com o marido, Antonio Barrera, 62 anos, já participou de competições nacionais, sul-americanas e mundiais, em países como Porto Rico, Argentina, Peru e Chile. Ele conta que começou a vida de atleta aos 17 anos, e aos 22 teve que parar. “Eu não tinha tempo de treinar por causa do trabalho”, contou.  Barrera retornou aos 45 anos competindo em salto em altura, salto com vara e revezamento. “Quando era mais novo fazia todas as categorias do atletismo, menos arremesso de martelo e marcha atlética”, destacou.

Sura corre na categoria dos 100m e pula salto em distância. Ela conta que tem quatro filhos, e nenhum compete por falta de tempo, já que estudam e trabalham. Porém suas três netas, de 9, 10 e 12 anos praticam salto em distância como a avó e revezamento como o avô. O atletismo serve para unir a família, Barrera aproveita o tempo livre para ensinar as provas para a nova geração.

O casal de colombianos gostou da organização do evento e acredita que o Brasil está preparado para a Copa de 2014. / Foto: Felipe Braun

Enquanto participam das competições em diversos países, eles também trabalham. “Nós fabricamos os uniformes da Colômbia e levamos nos campeonatos para vender”, falou Sura. “Os outros competidores já nos conhecem e pedem que nós tragamos as roupas, eles gostam muito das coisas que fazemos”, completou Barrera.


Esta é a primeira vez da dupla no Brasil. Eles admitem que gostaram muito, principalmente das pessoas. Apesar da dificuldade do idioma, todas tentam se comunicar e são atenciosas. A beleza da cidade também é um fator que agradou o casal, que pensa em retornar em breve. “Eu gostaria de voltar na Copa do Mundo, mas acabaram os ingressos. Com certeza voltaremos para as Olimpíadas para levar nossas netas”, afirmou Sura. 

Última atualização em Qua, 03 de Setembro de 2014 10:53